Estimular independência ajuda a evitar estresse e depressão em cães

Written by: admin Date of published: . Posted in Geral

Fonte: www.petmag.com.br

Ensinar o cão a se divertir sozinho e a se sentir confiante na ausência do dono pode ser a solução dos problemas de animais destrutivos e dependentes.

O cão ficou conhecido como o melhor amigo do homem por estar sempre ao seu lado em todos os momentos. Porém, nos últimos anos os proprietários de animais precisaram deixá-lo por mais tempo sozinho em suas residências, fato que pode se tornar um transtorno não só para os móveis, mas principalmente para o bem-estar e a saúde do pet. Os cães são animais sociais e por isso demandam uma atenção maior dos seus tutores, por isso é necessário que desenvolver uma terapia ocupacional durante a ausência de companhia.

As longas jornadas de trabalho se tornaram um desafio para os donos de cachorros. Eles necessitam de atividades para se distrair nos momentos de solidão. O ideal é que aprendam a se divertir com seus brinquedos e a aproveitar estes momentos para relaxar.

Quando aprendem a desfrutar deste período, desejarão ficar algum tempo sozinhos só para se dedicarem ao que é seu.

“Transpondo para as relações humanas, temos o seguinte exemplo: os pais podem criar uma criança visando contribuir para sua independência, ensinando quais as atitudes para isso. Outro caminho é superprotegê-la, o que a tornará insegura, medrosa diante do novo, sendo incapaz de testar suas possibilidades e saber até onde pode ir. Será dependente dos pais ou de outras pessoas para tudo. Com o cão funciona da mesma maneira”, afirma a Dra. Ceres Faraco, veterinária parceira da COMAC (Comissão de Animais de Companhia do SINDAN).

Nestes casos, é preciso dar possibilidades para que o animal possa viver satisfatoriamente este período de solidão, ou haverá uma dependência extrema e sofrimento constante.

Mas a veterinária alerta que esse processo de educação exige tempo e paciência. A maioria dos cães sofre de estresse ao ficar mais de 4 a 6 horas em isolamento e, o fato de ficar dormindo não significa que ele esteja bem. O problema não está apenas com os que destroem ou latem demais, a diferença é que estes nos incomodam e os quietinhos não, porém o sofrimento é semelhante.

 

Você deve promover um enriquecimento ambiental, isto é, atividades para seu cão. “E a regra de ouro é nunca associar momentos de isolamento a punição. Pois assim ele achará que ficar sozinho é sempre ruim. Ficar só deve estar associado a coisas boas. Assim, ele fica mais tranquilo em sua ausência”, conclui a especialista.

Confira as dicas para ambientar o pet e prepará-lo para ficar sozinho:

Novas rotinas diárias:

  • Instituir períodos de silêncio e distanciamento ao longo do dia;
  • Ensinar que morda seus brinquedos para distração: Ao mesmo tempo, isso protege os outros objetos da casa;
  • Introduzir na vida do cão os brinquedos interativos e inteligentes: Os brinquedos interativos são ocos, com orifícios que permitem colocar comida dentro para que o cão interaja com ele. Quanto mais ele brinca, mais será recompensado obtendo comida como prêmio. Em geral, é uma distração saudável para o cão, e evitam que ele tenha outras ideias para se distrair.